icone office 365

R$40 de desconto no Office 365 com o cupom: CD40

Teste de velocidade

Notícias

Samsung inclui chip especial para segurança no Galaxy S20

Sistema tem hardware dedicado e software desenvolvido para oferecer maior proteção de dados sensíveis do usuário.

A nova linha Galaxy S20 já foi lançada há algumas semanas. Entretanto, a Samsung segue com o anúncio sobre novos recursos de seus tops de linha de 2020. Em comunicado, a fabricante divulgou que os modelos contam com um chip especial, focado na segurança e maior proteção dos dados do usuário.

O chamado Elemento Seguro (SE, na sigla em inglês para Secure Element) está presente no Galaxy S20, S20 Plus e no Galaxy S20 Ultra. De acordo com a Samsung, a peça consiste em uma mistura de hardware, com o chip S3K250AF, e software.

O sistema recebeu certificação Common Criteria Evaluation Assurance Level (CCEAL) 5+, o nível mais alto atualmente em relação à proteção dos dados.

Na prática, o chipset dedicado funciona como uma “pasta s egura”, com armazenamento isolado dos principais itens de autenticação como PINs, senhas e credenciais de criptomoeda. Ou seja, essas informações ficam separadas do armazenamento interno regular dos aparelhos.

O sistema oferece, ainda, contramedidas para se defender de ataques de hackers, como uso de engenharia reversa e falhas de energia, o que torna o acesso ou cópia das informações armazenadas mais difíceis.

 

Acompanhe o lançamento do Galaxy S20 no Brasil com a loja online TIM!

Elemento Seguro da Samsung pode chegar a outros smartphones

Por enquanto, o Elemento Seguro é encontrado apenas nos aparelhos da linha Galaxy S20. Entretanto, é possível que o sistema apareça em outros modelos da Samsung. Além disso, o chip dedicado pode ser disponibilizado para outras fabricantes que tenham a empresa como fornecedora.

Apesar de eficiente, o sistema não chega a ser uma novidade. Soluções similares já apareceram em smartphones Google e Apple. 

Porém, o chip seguro da Samsung é mais parecido com o Titan M do Google, que também trabalha com um chip dedicado. Do outro lado, a Apple optou por incluir o recurso como parte do chip A13 Bionic, da linha iPhone 11.

voltar para o top