Curiosidades

Resident Evil 2 Remake – Review

Vinte anos depois do lançamento original, Resident Evil 2 está de volta com velhos conhecidos, novos sustos e visual renovado.

A franquia de jogos de terror Resident Evil 2 marcou uma geração, que passou por muitos sustos e sufocos em um dos games mais lembrados de todos os tempos. Cerca de vinte anos depois do original, o Resident Evil 2 está de volta em uma versão Remake, lançado para Playstation 4, PC (ou notebook) e Xbox One.

Os protagonistas são os velhos conhecidos do game original, Leon e Claire. Muitos inimigos e monstros também estão de volta, assim como outros elementos da primeira versão. Entretanto, o jogo passou por algumas atualizações e renovações que deixam a experiência bem diferente.

 

Aproveite a melhor experiência multijogador no seu Xbox com o Xbox Live Gold!

 

Enredo e novidades

 

O enredo não mudou muita coisa na história dos dois protagonistas. Leon Kennedy é um policial que em seu primeiro dia de trabalho encontra uma cidade infestada de zumbis. O jovem encontra Claire Redfield, que está em busca de seu irmão desaparecido Chris, o protagonista de Resident Evil 1, que deu início a franquia.

Os dois se encontram na delegacia, um dos poucos lugares que oferece algum tipo de segurança em Racoon City, que está tomada por zumbis e outras criaturas. O jogador pode escolher controlar um dos dois personagens já que, em determinado ponto do game, seus caminhos se separam.

Resident Evil 2 – Remake, ao contrário do original, tem perspectiva em terceira pessoa, que foi adotada no quarto game da franquia Resident Evil. Essa alteração de perspectiva é apenas uma das mudanças que serão percebidas pelos antigos jogadores do game de terror.

Em alguns momentos, é possível reconhecer as situações. Aliás, os mais saudosos do game Resident Evil 2 vão comemorar o surgimento de algumas cenas famosas do game original. Entretanto, os rumos de algumas ações e escolhas podem ser bem diferentes do que o antigo jogador espera.

Além disso, novos elementos, e algumas dificuldades extras, foram muito bem inseridas pelos desenvolvedores. Não só por aparecerem como surpresas para quem acha que já conhece o game, mas por tornar seu enredo mais rico e atualizado. Afinal, depois de vinte anos, espera-se mais de um jogo de terror.

Outras personagens coadjuvantes, como Ada e Sherry, também estão de volta, e assumem o controle em determinado momento do game. Embora apareçam por pouco tempo, suas narrativas são importantes para o andamento do jogo, e elas ganharam enredos mais complexos.

O mesmo vale para os inimigos a serem enfrentados. Alguns zumbis ganharam visual repaginado, mas baseado no primeiro game. Outras criaturas e antagonistas também estão de volta, como os Lickers. Porém, ao evoluir no game, você vai encontrar novos motivos para tomar sustos. Aliás, mais um aviso: os monstros e zumbis ganharam alguns pontos no fator surpresa. Ou seja, pode esperar por alguns bons sustos, embora esse não possa ser considerado como o game mais assustador da franquia.

Ao longo do game, é possível perceber outras diferenças na jogabilidade. Vencer as criaturas pode ser mais difícil do que o esperado, e os sistemas de armas também passaram por algumas mudanças. Em média, chegar ao fim do jogo deve levar algo entre 8 e 10 horas na primeira tentativa. Mas, como muitas situações se repetem, uma segunda rodada pode ser feita na metade desse tempo.

 

Informe Publicitário
Tim

Melhor oferta

100MB

serviços digitais

Serviços Tim
A partir de
R$
117,00

por
mês

Vivo

Melhor oferta

100MB

serviços digitais

Vivo
A partir de
R$
129,99

por
mês

Oi

Melhor oferta

25MB

serviços digitais

Serviços Oi
A partir de
R$
114,90

por
mês

Net

Melhor oferta

120MB

serviços digitais

Serviços Net
A partir de
R$
99,00

por
mês

 

Ambientação, cenários e efeitos

 

O tempo só fez bem ao Resident Evil 2 – Remake, que soube aproveitar as novas tecnologias disponíveis desde o lançamento do original.

Em geral, a própria atmosfera do game ficou mais sombria, o que até aumenta o suspense e a tensão ao longo do jogo. Os efeitos de luz e sombra evoluíram, e agora é mais difícil prever de onde vai pular mais um zumbi. Como foi dito antes, pode se preparar para os sustos.

Como era de se esperar, os gráficos estão muito mais ricos e detalhados do que no Resident Evil 2 de vinte anos atrás. As texturas mais ricas e os personagens mais realistas também deixam toda a experiência do Resident Evil 2 – Remake mais completa.

Para os antigos jogadores, é uma chance de acompanhar renovações que mostram como o original se adapta aos games atuais. Já quem não conhece o primeiro jogo, pode entender o que fez ele causar tanto impacto.

Os cenários também ganharam novos detalhes, que ajudam o jogo a ganhar uma ambientação mais atual, Por exemplo, disquetes que foram substituídos por pendrives. Essas alterações fazem todo o sentido. É só parar para pensar que muita gente que nasceu após o lançamento do Resident Evil 2 pode nem mesmo saber para que serve um disquete.

E isso está longe de ser um simples detalhe do cenários, embora isso também deva ser observado. O Resident Evil 2 – Remake volta com os puzzles, pequenos intervalos na ação para que o jogador resolva alguns enigmas. Por isso, é importante ficar atento a cada detalhe do cenário, já que você pode encontrar alguns objetos ou pistas que vão te ajudar.

Para completar o visual atualizado e o cenário renovado, Resident Evil 2 – Remake, também ganhou novos efeitos de áudio. Mais uma vez, uma vantagem da evolução dos games nos últimos vinte anos. Com isso, o jogo ganha ainda mais pontos em imersão. Uma boa dica para aproveitar cada detalhe dos novos efeitos é acompanhar o game com um bom headset.