Curiosidades

O que é a memória do celular e como ela funciona?

Memória interna e memória RAM têm funções diferentes

Quem já procurou um celular para comprar, percebeu que as lojas e fabricantes sempre jogam um monte de informações. São tantos detalhes, configurações e características, que podem até causar alguma confusão, não é?

Por exemplo, o que é a memória interna do celular? E qual a diferença entre essa característica e a memória RAM? E como saber o que eu preciso?

Sim, são muitas perguntas. Mas é muito fácil entender um pouquinho melhor!

 

O que é a memória interna do celular?

 

Para explicar de uma forma bem simples, a memória interna do celular é o espaço para guardar, ou armazenar, dados e arquivos.

Sabe quando você pensa que quer comprar um celular com muito espaço para salvar arquivos? Ou quando você reclama de precisar apagar fotos para tirar uma nova ou receber uma mensagem? Então, é nesse ponto que deve considerar a memória interna do celular.

Todos os arquivos, dados e informações ocupam um espacinho dessa memória interna, desde os contatos da sua agenda, até os aplicativos que você baixa. Sem esquecer dos históricos de mensagens, fotos e vídeos que você recebeu e salvou no aparelho, músicas e outros arquivos.

Já deu para perceber o quanto a memória interna é importante, certo? E não fica por aí! À medida em que você usa alguns aplicativos, os dados também se acumulam na memória interna.

Por exemplo, todas as mensagens que você guarda para ler e reler no WhatsApp ocupam um espaço da memória interna. Assim como as músicas e vídeos que você salva para ver e ouvir offline no Spotify ou na Netflix. Por conta disso que alguns aplicativos passam a ocupar mais espaço do que quando você fez o download.

Como saber qual o melhor armazenamento interno?

 

Bem, como todas as características de um smartphone, isso sempre depende dos seus hábitos de uso. Vamos falar um pouco mais sobre as capacidades de memória interna, ou armazenamento, disponíveis na maior parte dos aparelhos.

Muitos smartphones mais básicos, conhecidos como modelos de entrada, apresentam armazenamento de 4GB ou 8GB. Esses aparelhos são indicados para quem não precisa de muitos recursos, e o espaço de armazenamento é restrito.

Com 4GB, o indicado é que você baixe apenas um ou dois aplicativos, e de preferência versões bem levinhas, e salve poucas fotos. Assim, você fica com algum espaço para salvar contatos e receber mensagens.

Atualmente, armazenamento de 8GB é o mínimo indicado. Pelo menos é o suficiente para baixar os aplicativos essenciais, e ficar com uma sobra para salvar fotos e receber mensagens sem precisar apagar outros arquivos.

Muitos modelos já oferecem armazenamento interno de 16GB. Normalmente, esse espaço é suficiente na maior parte das situações. Já permite que você baixe alguns aplicativos a mais e ainda salve fotos, vídeos e músicas. Digamos que é o mínimo necessário para uma utilização confortável.

Em seguida, estão os modelos de 32GB. Aí sim, pode até baixar aqueles aplicativos que você usa com pouca frequência e jogos casuais. Ainda vai sobrar espaço para salvar músicas, fotos, vídeos, textos e até filmes para acessar offline. Mas ainda não é um espaço infinito, ok? Depois de alguns meses, pode ser indicado fazer aquela “limpa” para liberar espaço.

Já entrando nos modelos premium, chegamos aos excelentes 64GB. Desse ponto em diante, dificilmente você vai precisar apagar arquivos para liberar mais espaço.  A não ser que você costume salvar arquivos mais pesados, como muitos vídeos de edições complexas. Mesmo assim, vai demorar um tempinho para ficar com pouco armazenamento.

Finalmente, temos os celulares com memória interna de 128GB, 256GB e até 512GB. Bem, nesse caso, você estará entre os melhores do mercad. Definitivamente, não vai faltar espaço para salvar aplicativos, fotos, músicas, vídeos, textos e o que mais você quiser.

 

Mas e a memória RAM?

 

O nome é parecido, mas as funções são bem diferentes. A memória RAM é uma memória temporária, acessada para abrir e executar arquivos e aplicativos.

Vamos colocar assim: quando você baixa um aplicativo, ele fica “guardado” na memória interna, ou armazenamento. Mas a memória RAM é a responsável por trabalhar com esse aplicativo.

A diferença de memória RAM tem relação com o quanto seu smartphone vai rodar bem as tarefas. Quanto maior e memória RAM, melhor ele vai trabalhar com vários aplicativos abertos sem engasgar ou travar. Lembrando que, quanto mais “pesado” é o aplicativo, mais RAM ele vai ocupar na hora de trabalhar.

Em smartphones com RAM de 1GB, o ideal é deixar uma tarefa aberta de cada vez e, de preferência, aplicativos levinhos. Com 2GB, você já consegue abrir duas ou mais tarefas ao mesmo tempo. Como alternar entre os aplicativos de música, mensagens e o navegador web, por exemplo.

Se você pula muito de um aplicativo para outro, o ideal é apostar em RAM de 3GB ou 4GB, para não ter problemas. E finalmente, os tops de linha podem chegar a até 6GB ou 8GB. Com esses, você pode abrir qualquer tarefa pesada e a navegação vai continuar rodando bem.

 

Qual é mais importante, memória interna ou memória RAM?

 

São duas coisas diferentes, mas que funcionam juntas. Normalmente, os modelos de maior memória interna também apresentam boa memória RAM.

Mas, na hora de economizar, lembre-se que alguns modelos permitem que você use um cartão de memória. Isso serve como uma “extensão” do armazenamento, com mais espaço para guardar fotos, músicas, vídeos e outros arquivos.  Assim, sobra mais espaço da memória interna para os aplicativos e outros dados que não podem ser salvos no cartão de memória.

Deixe um comentário

avatar