Inovação

O que é 4.5G?

A internet móvel vem evoluindo com a chegada de novas tecnologias, ou a melhoria das já existentes. Um exemplo é o 4.5G. Mas sabe o que é 4.5G? Descubra!

Operadoras como Vivo e Claro vêm anunciando as conexões 4.5G, 4G Max e 4G+. Mas você sabe o que é, de fato esse tipo de conexão?

Para começar, todos esses nomes fazem referência à mesma tecnologia. Contudo, ela é mais conhecida como 4.5G. Através do padrão LTE Advanced, as operadoras conseguem oferecer velocidades mais altas do que no 4G, por exemplo. Além disso, há mais estabilidade no sinal também.

Alguns dizem que essa nova nomenclatura não passa de marketing. Entretanto, o fato é que o 4.5G realmente representa melhorias com relação ao 4G. Contudo, não chega a ser uma nova tecnologia e nem promete revolucionar as telecomunicações.

A verdade é que o 4.5G não pode ser considerado uma tecnologia nova. Isso porque ele é simplesmente uma melhoria da rede 4G que já conhecemos.

Entretanto, esse é um passo importante até a chegada do 5G. De fato, o padrão será uma nova tecnologia que promete mudar a maneira como lidamos com certos dispositivos. Contudo, a chamada Internet das Coisas (IoT) deve finalmente ganhar escala e se tornar acessível. Porém, o 5G só deve desembarcar no Brasil em 2020.

O 4.5 é um sistema regulamentado em 2011 pela 3rd Generation Partnership Project (3GPP). A organização internacional é responsável pela padronização das telecomunicações no mundo todo.

No entanto, mesmo tendo bastante tempo, muita gente ainda não sabe o que é 4.5G. Até porque, a conexão só desembarcou no Brasil em 2017, primeiramente através da Claro.

Como o 4.5G funciona?

O 4.5G funciona por meio do Carrier Aggregation (Agregação de operadora). Isso quer dizer que as operadoras usam mais de uma faixa de frequência para disponibilizar o 4.5G, formando uma só faixa.

Contudo, a qualidade do sinal e a velocidade da conexão vão depender justamente do quanto a operadora consegue agregar. Isso envolve fatores como, por exemplo, a infraestrutura da empresa.

No geral, são agregadas três faixas no 4.5G: 2.600 Mhz, 1.800 Mhz e 700 Mhz. Esta última era usada para a transmissão da TV analógica, que aos poucos é desligado no Brasil.

Foi exatamente para possibilitar o funcionamento do 4.5G, e visando a chegada do 5G, que o sinal analógico começou a ser desligado. A partir de então, as pessoas passarão a assistir à TV digital.

Apesar de operadoras como Vivo e Claro combinarem só três faixas, é possível chegar até cinco. E, nesse caso, quanto mais, melhor.

O padrão usado no 4.5G é o LTE Advanced. Ou seja, uma melhoria do LTE convencional do 4G. Entretanto, a Claro diz que usa o LTE Advanced Pro.

Nesse caso, existe a comunicação entre quatro antenas de comunicação e quatro antenas de transmissão para conectar torre e dispositivo móvel. É o chamado MIMO 4×4. Com isso, é possível transferir mais informações. Contudo, a conexão se torna mais rápida e estável. No caso do 4G, são usadas apenas duas antenas, por exemplo.

No entanto, é necessário que o dispositivo seja compatível com algumas tecnologias para se conectar ao 4.5G. Para isso, eles precisam ter as seguintes configurações: carrier aggregation, MIMO 4×4 e modulação avançada 256QAM.

Qual é a diferença do 4G para o 4.5G?

selective focus photography of person using black smartphone

A conexão 4.5G costuma ser comparada a uma estrada, para facilitar o entendimento. Se houver apenas uma faixa de rolamento, há mais chances do trânsito ficar lento, certo? Contudo, caso a via seja alargada, ganhando mais faixas, os veículos podem andar mais rapidamente e contar com menos engarrafamento.

Todavia, no 4.5G é basicamente isso que acontece. Se no 4G há apenas uma faixa, a conexão pode ficar lenta e perder estabilidade se muitas pessoas estiverem usando. Entretanto, no 4.5G as chances disso acontecer são bem menores. Até porque, ainda não são muitos o celulares compatíveis com 4.5G.

Essa é, basicamente, a diferença do 4.5G para o 4G. Enquanto a primeira usar várias faixas, o 4G só funciona em uma frequência, de 2.500 Mhz.

Com isso, a velocidade do 4.5G consegue ser superior. Teoricamente, o 4.5G pode chegar a 1 Gbps. Entretanto, a velocidade final, entregue ao consumidor, tende a ser bem menor.

De acordo com a Claro, seu 4.5G tem média de 200 Mbps, podendo ter picos de 400 Mbps. Esse é o dobro da velocidade que o 4G consegue atingir. A conexão tende a ir de 100 Mbps a 150 Mbps, por exemplo.

Entretanto, a média de velocidade do 4G vista no Brasil é bem menor na prática. De acordo com uma pesquisa da empresa britânica OpenSignal, o 4G no país tem média de 19,67 Mbps. Sendo assim, o 4.5G chega a ser ao menos 10 vezes mais veloz que o 4G.

Como se conectar ao 4.5G?

Para usar a conexão 4.5G, primeiramente, é preciso ter um smartphone compatível com a tecnologia. Modelos mais recentes, como Galaxy S9 e iPhone XS estão prontos para o 4.5G, por exemplo.

Além disso, é necessário que a operadora ofereça o serviço e, claro tenha cobertura na sua região. Contudo, de acordo com um estudo de setembro de 2018 realizado pela Teleco, cerca de 1.700 cidades já contam com cobertura 4.5G. Contudo, vale lembrar que a tendência é que a conexão seja expandida para mais locais aos poucos.

Deixe um comentário

avatar