Curiosidades

Mitos e verdades sobre o Bluetooth

Preciso deixar os aparelhos encostados para usar o Bluetooth? Ele faz mal à saúde? Descubra as respostas para os principais mitos e verdades sobre o Bluetooth.

Uma das conexões sem fio mais populares, o Bluetooth é usado em celulares, notebooks, smart TVs, caixas de som e fones de ouvido, por exemplo.

Por estar presente do dia a dia de muita gente, surgem diversas dúvidas sobre o seu funcionamento e segurança. Para ajudar a esclarecer algumas questões, listamos alguns mitos e verdades sobre o Bluetooth, que você acompanha nas linhas a seguir.

Quer smartphones com Bluetooth e preços especiais na contratação de um plano de celular? Confira diversas opções na loja online da Claro!

1. Conexão Bluetooth só funciona se os dispositivos estiverem próximos?

Mito. O primeiro mito sobre o Bluetooth é sobre a proximidade dos dispositivos que vão trocar as informações. Muita gente acredita que os aparelhos precisam estar bem próximos para que consigam fazer a leitura de dados um no outro. Contudo, essa necessidade é vista em outros tipos de conexões, como o NFC, e não no Bluetooth.

Quando o assunto é o Bluetooth, os dispositivos podem estar em média a 10 metros de distância. Essa é uma boa notícia para quem quer colocar músicas em uma caixa de som Bluetooth usando o celular, sem que seja necessário estar muito perto do alto-falante.

 

2. Bluetooth faz mais à saúde?

 

Mito. Mais um mito sobre o Bluetooth é que a conexão faz mal à saúde. A preocupação tem relação à radiação emitida. No entanto, ela é muito baixa em aparelhos Bluetooth, quando há.

Para se ter uma ideia, um aparelho com Bluetooth de Classe 1 emite cerca de 100 mW (milliwatts). Porém, a maioria dos dispositivos Bluetooth mais modernos tem energia de até 1 mW.

Fazendo uma comparação, os smartphones emitem de 1.000 mW a 2.000 mW durante o uso do 3G ou do 4G, por exemplo. Sendo assim, é até mais seguro usar um fone de ouvido Bluetooth para atender ligações do que atender o celular no ouvido.

 

3. Bluetooth 5 é retrocompatível?

 

Verdade. A primeira verdade sobre o Bluetooth na nossa lista é sobre a compatibilidade da versão 5 da conexão. Se você tem um fone de ouvido ou caixa de som Bluetooth 4.0, 4.1 ou 4.2, por exemplo, e um celular com Bluetooth 5.0, não precisa se preocupar.

Isso porque o Bluetooth 5 é compatível com as versões anteriores. Além disso, as tecnologias e benefícios usados no passado também se aplicam ao Bluetooth mais recente.

 

Informe Publicitário
Tim

Melhor oferta

100MB

serviços digitais

Serviços Tim
A partir de
R$
117,00

por
mês

Vivo

Melhor oferta

100MB

serviços digitais

Vivo
A partir de
R$
129,99

por
mês

Oi

Melhor oferta

25MB

serviços digitais

Serviços Oi
A partir de
R$
114,90

por
mês

Net

Melhor oferta

120MB

serviços digitais

Serviços Net
A partir de
R$
99,00

por
mês

 

4. Bluetooth 5 tem maior alcance e velocidade?

 

Mito. Também sobre o Bluetooth 5, uma afirmação que pode ser vista em diversos lugares é sobre o maior alcance e velocidade dessa versão da conexão.

Contudo, essa é uma meia verdade. De fato, o Bluetooth 5 tem maior capacidade de alcance e também de velocidade. Entretanto, o usuário precisa escolher qual desses benefícios quer usar. Ou seja, ou você tem um alcance maior e uma velocidade menor, ou escolhe maior velocidade e menor alcance.

 

5. Deixar o Bluetooth ligado “acaba” com a bateria do aparelho?

 

Mito. Mais um mito sobre o Bluetooth diz respeito ao seu consumo de energia. Muita gente acredita que manter a conexão ativada no celular ou no tablet, por exemplo, pode aumentar muito o consumo de bateria.

Na verdade, isso acontecia nas versões passadas da conexão. No entanto, a partir do Bluetooth 4 o módulo Low Energy (LE) foi incluído para diminuir o consumo energético.

Portanto, manter o Bluetooth ativado até vai gastar bateria, mas bem pouca. Contudo, o consumo vai ser maior quando você estiver fazendo a transferência de algum arquivo. Então, dá para deixar a conexão ligada mesmo que você não esteja usando um fone de ouvido ou caixa de som Bluetooth, por exemplo.

 

6. Manter o Bluetooth “invisível” é mais seguro?

 

Mito. Essa é mais uma meia verdade sobre o Bluetooth. Se você ocultar o seu Bluetooth, teoricamente outros usuários não poderão ver o seu Bluetooth Device Address (BDA). Portanto, não poderão emparelhar ou mesmo pedir permissão para ter acesso aos seus arquivos.

Contudo, hackers têm maneiras de acessar o seu BDA mesmo se a sua conexão Bluetooth estiver invisível. Sendo assim, a principal maneira de evitar que os seus dados estejam expostos é mesmo deixando o Bluetooth inativo.

No entanto, se você quiser uma opção menos radical, pode simplesmente acessar as configurações do seu dispositivo e mudar a senha. Escolha uma sequência que não seja tão fácil de se descobrir. Usar senhas como “1234” pode facilitar o ataque de cibercriminosos através do Bluetooth, mesmo que ele não esteja visível.

 

7. O Bluetooth pode interferir no Wi-Fi?

 

Mito. Para finalizar a lista de mitos e verdades sobre o Bluetooth, vamos falar sobre a interferência da conexão no Wi-Fi. Geralmente, essa crença está atrelada ao fato do Bluetooth usar a frequência de rádio de 2,4 GHz. Todavia, essa mesma banda é usada por outras conexões, como o Wi-Fi.

No entanto, o Bluetooth conta com algo que se chama salto de frequência adaptável. Ela funciona assim: a frequência da conexão vai de 2.400 MHz a 2.483,5 MHz. No entanto, o Bluetooth tem acesso a dois canais. Dessa forma, ele monitora o uso de determinada banda por outras conexões, e opta sempre pela que está livre. Tudo isso acontece automaticamente.

Portanto, o Bluetooth vai sempre procurar uma frequência que não esteja sendo usada por outra conexão, evitando interferências.