icone office 365

R$40 de desconto no Office 365 com o cupom: CD40

Teste de velocidade

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Notícias

Leilão do 5G no Brasil tem regras definidas pelo governo e pode acontecer em 2020

Diretrizes incluem regras e metas que serão adotadas pela Anatel.

Previsto inicialmente para ser realizado pela Anatel em março de 2020, o leilão do 5G no Brasil voltou a avançar. O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) publicou uma portaria do Diário Oficial da União com as diretrizes que deverão ser adotadas.

Entre as regras, estão o cumprimento de prazos, metas de cobertura e investimentos de recursos. A portaria foi assinada pelo ministro Marcos Pontes, e acredita-se que o leilão seja realizado até outubro de 2020.

Essas diretrizes estabelecem os pontos principais que devem ser considerados pela Anatel no leilão. Veja alguns deles:

1. Incentivo ao compartilhamento de infraestrutura passiva e ativa entre as operadoras, incluindo postes, torres, dutos e condutos;

2. Compromissos de cobertura com tecnologia 4G ou superior para cidades, vilas, áreas urbanas isoladas e aglomerados rurais com população superior a 600 habitantes;

3. Compromisso de cobertura de rodovias federais com “banda larga móvel” (no mínimo 3G);

4. Modelagem que viabilize manutenção ou aumento dos níveis atuais de competição;

5. Rede de transporte de alta velocidade (backbone) em municípios ainda não atendidos, preferencialmente com fibra óptica;

6. Prazos para ativação da tecnologia nas faixas licitadas, com liberação do espectro para terceiros interessados caso a prestadora não ative o serviço.

Com os planos Vivo Controle você tem WhatsApp ilimitado e chamadas liberadas! Faça já sua assinatura!

Interferência do 5G na TV aberta via satélite

Um dos principais motivos do atraso no leilão 5G no Brasil foi uma possível interferência da nova rede na Banda C, usada pelas antenas da TV aberta via satélite. Logo, esse ponto foi um dos mais debatidos para definição das diretrizes.

Para evitar problemas, a solução encontrada foi a instalação de novos filtros LNBF nas antenas parabólicas dos consumidores. Estima-se que o número de parabólicas instaladas em todo o país chegue a cerca de 12,5 milhões de antenas que utilizam a banda C. 

 

 

Segundo as regras publicadas, o custo da substituição dos filtros deve chegar a R$ 455,7 milhões. A empresa que adquirir a faixa de frequência de 3,5 GHz ficará responsável por arcar com esses valores.

Quer economizar no seu plano de celular e banda larga? Confira aqui as melhores ofertas da semana!

voltar para o top