Xbox

Just Cause 4 – Review

Explosões e criatividade seguem como o ponto forte do jogo Just Cause 4.

Embora a oferta de jogos de mundo aberto não seja pequena, não são todos eles que oferecem ampla liberdade de ações e estratégias. Bem, isso não é um problema em Just Cause 4, disponível para Xbox One, Playstation 4 e PC.

Lançado doze anos depois do primeiro game da franquia, Just Cause 4 continua tendo na diversão o seu ponto mais forte. O grande barato do game é descobrir novas formas de provocar explosões cinematográficas e cumprir as missões.

Agora, o game também está disponível no Xbox Game Pass, serviço de assinatura de jogos para o console da Microsoft. A plataforma oferece acesso a centenas de títulos diferentes, inclusive alguns daqueles games exclusivos para Xbox One.

 

Ainda não assinante do Xbox Game Pass? Assine agora e aproveite mais de 100 jogos!

 

Enredo denso, jogabilidade divertida

 

Em Just Cause 4, o jogador assume o papel de Rico Rodrigues, protagonista que precisa combater o governo tirano liderado pela vilã Gabriela Morales. Ao seu lado, Morales tem a organização Mão Negra, velha conhecida de Rico das edições anteriores do game.

Além de se opor ao governo totalitário, Rico também tem motivos pessoais para entrar na briga. A maior arma dos antagonistas é um dispositivo que pode controlar catástrofes naturais, criada pelo pai do nosso herói.

Embora o enredo pareça denso, esse não é, nem de perto, o tom de Just Cause 4. A cada missão e objetivo, é possível perceber que o game não pretender ser tão sério. A força do jogo é garantir algumas horas de diversão a base de muitos explosivos. E, nesse ponto, ele não vai decepcionar.

 

Missões, estratégias e mecânicas sem muitas novidades, e isso não é ruim

 

Como é comum em games de mundo aberto, ao longo da campanha principal o jogador precisa cumprir uma série de missões paralelas. E muitas delas estão entre os melhores momentos do jogo, principalmente aquelas que apostam no absurdo. Por exemplo, como lidar com um coadjuvante que acredita piamente na presença dos reptilianos? Ou como garantir que uma cineasta consiga realizar suas filmagens em Solís, país fictício da América do Sul no qual se passa Just Cause 4?

Se em outros games de RPG você imagina como seria mandar todo o cenário pelos ares, mas teme as consequências, Just Cause 4 é o jogo perfeito. As missões principais envolvem tomar o controle das bases principais da organização Mão Negra.

 

Informe Publicitário
Tim

Melhor oferta

100MB

serviços digitais

Serviços Tim
A partir de
R$
117,00

por
mês

Vivo

Melhor oferta

100MB

serviços digitais

Vivo
A partir de
R$
129,99

por
mês

Oi

Melhor oferta

25MB

serviços digitais

Serviços Oi
A partir de
R$
114,90

por
mês

Net

Melhor oferta

120MB

serviços digitais

Serviços Net
A partir de
R$
99,00

por
mês

 

Como fazer isso? Explodindo tudo o que você encontrar pela frente. Antenas, veículos, torres de comunicações, depósitos de combustível e arsenais estão entre alguns dos alvos que podem ser destruídos, sempre de forma exageradamente divertida.

É possível que, depois de algumas missões, essa dinâmica de conquista de territórios se mostre um pouco repetitiva. É aí que Just Cause 4 ganha pela criatividade, já que o jogo passa a funcionar como um laboratório. E todas as suas experiências de resumem a encontrar novas maneiras de espalhar o caos e destruir as bases. Ah, sim, não é sem motivos que a organização de rebeldes criada por Rico se chama “Exército do Caos”.

 

Novas armas, sistema de entrega estratégico e gancho mais versátil

 

Rico Rodrigues ganhou algumas novas armas na mais recente edição de Just Cause 4, além dos rifles, metralhadoras e, claro, lança-mísseis. Entre as novidades, estão as inusitadas armas de vento e raio. É isso mesmo, armas capazes de produzir ventanias e descargas elétricas naturais. Mas vale o aviso: nem sempre é possível escolher onde os raios vão cair!

Outras ferramentas que ajudam Rico a cumprir suas missões são os já conhecidos paraquedas, wingsuit e o gancho. Aliás, aqui tem mais novidades! Ao longo da evolução e da conquista de novos objetivos, o gancho fica mais versátil. Na prática, isso significa que você ganha novas possibilidades de mandar os inimigos pelos ares. Em algumas situações, literalmente. Mais uma vez, as situações irreais mostram suas melhores facetas em Just Cause 4.

Um novo sistema de entrega de suprimentos a Rico e seus aliados também pode funcionar como uma arma, no melhor estilo fator surpresa. Em Just Cause 4, as armas e outros suprimentos, desbloqueados com o cumprimento de missões e tarefas, são entregues por avião. Então, nada impede de que esse transporte faça uma entrega direta, e sem aviso, direto nas bases dos inimigos. Que tal descobrir quais os estragos causados por um barco lançado por um avião?

É claro que o tal dispositivo de controle de catástrofes naturais, teoricamente criado pelo pai de Rico, também aparece na narrativa. Ele é usado como um elemento importante em momentos decisivos do game, bem legal para deixar a ação mais interessante.

 

Quem vai curtir Just Cause 4?

 

Caso tenha restado alguma dúvida, é importante esclarecer. Just Cause 4 não aposta no realismo ou em gráficos avançados. Nesses quesitos, o game fica muito atrás de outros títulos contemporâneos.

Entretanto, esses fatores passam longe de estar entre as prioridades do jogo, então isso não pode ser apontado como um problema. Em Just Cause 4, você pode tranquilamente deixar o roteiro de lado e se concentrar em explodir as coisas. Só isso. E essa falta de maiores pretensões é exatamente o que torna sua dinâmica divertida.