Blog

Face ID: como funciona a tecnologia de reconhecimento facial da Apple

Conheça a tecnologia da Apple que permite desbloquear o smarpthone e o iPad Pro por meio de reconhecimento facial e saiba se o Face ID é seguro.

Com o lançamento do iPhone X, a Apple marcava uma nova era em seus smartphones e tablets. Isso porque o aparelho foi o primeiro a não contar com leitor de impressão digital (Touch ID). Em vez disso, o desbloqueio de tela é feito através de reconhecimento facial, o chamado Face ID.

Tudo começou em 2013, quando a Apple adquiriu a empresa PrimeSense, que ajudou a desenvolver o Kinect, usado nos consoles Xbox, da Microsoft. A partir daí, a tecnologia foi sendo aprimorada até chegarmos ao Face ID.

Contudo, o Face ID funciona de maneira semelhante ao Touch ID em diversos aspectos. Basicamente, é preciso cadastrar a biometria. Desse momento em diante, toda vez que se quer fazer o desbloqueio de tela, o iPhone ou iPad Pro compara a informação que foi salva com o rosto que está sendo capturado pela câmera.

Além disso, a tecnologia também é usada para autorizar compras usando o sistema de pagamento da marca, o Apple Pay. Contudo, pode ainda ajudar a finalizar transações no iTunes Store, na App Store e no Apple Books. Todavia, todos os aplicativos que usavam Touch ID são automaticamente compatíveis com Face ID.

A seguir, saiba mais sobre o funcionamento do Face ID e descubra informações sobre segurança e privacidade dos dados salvos em dispositivos como iPhone iPad Pro.

 

iPhone XS, XS Max e outros modelos de smartphone Apple estão na loja da TIM. Acesse e confira!

 

Como funciona o Face ID?

 

O Face ID é ativado através do conjunto de sensores chamado TrueDepth. Ele funciona junto com a câmera frontal e um projetor de pontos que monta um mapa 3D com detalhes da face do usuário. Todavia, ele mapeia inclusive os relevos do rosto para garantir a fidelidade das informações.

A partir de uma imagem do rosto do usuário, a tecnologia TrueDepth projeta mais de 30 mil pontos na face para garantir a segurança, além de criar uma imagem infravermelha. No entanto, só é preciso escanear o rosto uma vez para que comece a reconhecer a face.

Quando for usar o Face ID, a câmera TrueDepth vai comparar as informações matemáticas do seu rosto com as que foram salvas no dispositivo. Se elas forem compatíveis, é realizado o desbloqueio de tela.

Para chegar a essa tecnologia, a Apple trabalhou junto de fabricantes de máscaras de efeitos especiais, usadas em produções de Hollywood.

Cada vez que o Face ID é usado, essa espécie de mapa do rosto é aprimorada através do aprendizado de máquina (machine learning).

Dessa forma, a tecnologia é capaz de reconhecer o usuário mesmo se ele mudar o corte de cabelo, usar maquiagem, óculos ou um chapéu, por exemplo. Além disso, a marca afirma que o reconhecimento facial acontece mesmo em ambientes escuros.

Contudo, a Apple afirma que o Face ID detecta mudanças sutis no rosto ao longo do tempo, como no caso do envelhecimento. Entretanto, se essa mudança for brusca e repentina, como no caso de uma cicatriz ou da retirada da barba, é feita uma correspondência parcial e requerida a senha de acesso.

Todavia, feito esse procedimento, uma nova imagem do rosto é feita e atualizada no sistema do smartphone.

 

Informe Publicitário
Tim

Melhor oferta

100MB

serviços digitais

Serviços Tim
A partir de
R$
117,00

por
mês

Vivo

Melhor oferta

100MB

serviços digitais

Vivo
A partir de
R$
129,99

por
mês

Oi

Melhor oferta

25MB

serviços digitais

Serviços Oi
A partir de
R$
114,90

por
mês

Net

Melhor oferta

120MB

serviços digitais

Serviços Net
A partir de
R$
99,00

por
mês

 

O Face ID é seguro?

 

Segundo a Apple o Face ID é um recurso seguro e que respeita a privacidade dos usuários. Para se ter uma ideia, a marca afirma que o Face ID tem uma chance em um milhão de cometer um erro.

Contudo, no caso do Touch ID, essa margem era de uma chance em 50 mil. Uma das possibilidades do reconhecimento facial da Apple falhar é com alguém parecido, geralmente um familiar. Isso pode acontecer, sobretudo, com irmãos gêmeos, por exemplo.

Uma das formas de garantir a segurança é o mecanismo que desativa o Face ID após cinco tentativas frustradas de desbloqueio de tela.

No entanto, para impedir que estranhos travem o reconhecimento facial do smartphone ou iPad Pro, o próprio usado pode desativá-lo. Para isso, basta pressionar os botões de volume e de liga/desliga ao mesmo tempo. Com o Face ID desativado, é exigida uma senha para ter acesso aos dados do aparelho.

Contudo, existem outras possibilidades para o Face ID não estar funcionando corretamente. Uma dela é o fato do reconhecimento facial falhar caso o usuário esteja de olhos fechados ou olhando para os lados.

Para uma melhor captura dos pontos do rosto, a Apple recomenda que o dispositivo esteja de 25 cm a 50 cm da face no momento do cadastro. Essa é uma forma de minimizar possíveis erros na hora de fazer o reconhecimento facial.

Ainda sobre segurança, a Apple afirma que os dados de biometria ficam armazenados somente no dispositivo móvel. Todavia, não são enviados para a Apple ou qualquer outra empresa, de acordo com a fabricante.