Teste de velocidade

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Blog

Como funciona o seguro para celular

Analisar as condições do contrato é um passo importante para saber se o investimento vale a pena.

Não é nenhuma novidade que ter o celular roubado ou furtado é uma grande dor de cabeça. Primeiro, pelo susto em si, claro. E depois tem todos os cuidados que devem ser tomados, como bloquear o aparelho e a linha e proteger o acesso às suas informações. Finalmente, vem o custo de um novo celular. Afinal, não tem como ficar sem um desses aparelhos atualmente.

Não tem como fugir das primeiras etapas, ou seja, bloqueio do aparelho e cuidados com a segurança dos seus dados. Porém, na hora de desembolsar uma grana no celular novo, você pode contar com a ajuda de um seguro. Mas será que vale a pena?

Como ocorre nas outras modalidades, o seguro do celular é um investimento que pode, ou não, ter retorno em algum momento. Por isso, é importante considerar alguns fatores antes de optar pelo contrato.

Custo do seguro, situações de cobertura e valor franquia são algumas delas. Veja como funciona o seguro para celular e descubra se é uma opção válida para você:

 

Quer comprar um celular novo? Veja promoções e ofertas dos melhores smartphones na Claro!

Valores variam de acordo com o modelo

Normalmente, quem procura saber sobre os seguros de celular são os donos de aparelhos mais caros. O custo do smartphone pode influenciar no valor investido no seguro e no ressarcimento recebido em caso de danos ou roubos.

Sendo assim, o cálculo indicado é: o valor gasto no seguro sai mais baixo do que a compra de um celular igual a esse? Caso a resposta seja positiva, o investimento pode ser válido.

Não deixe de conferir outras informações do contrato. Se você costuma trocar de aparelho com frequência, verifique o valor de uma possível multa por cancelamento. Já a carência indica a partir de quanto tempo, após o início do contrato, você pode ativar a seguradora.

Casos de cobertura

Também é importante ver quais situações estão cobertas pelo seguro. Normalmente, essa cobertura cobre roubos e “subtração do equipamento mediante ameaça direta ou emprego de violência”. Ou seja, aqueles furtos em que quebram a porta do carro ou cortam a bolsa ou mochila.

Na maior parte das vezes, o chamado “furto simples”, quando não há vestígios, não entra na cobertura do seguro de celular.

Vamos ilustrar duas situações. Na primeira, alguém cortou a sua bolsa para pegar o celular. Na segunda, alguém retirou o aparelho dela, sem que você percebesse nada de diferente. Apenas o primeiro caso vai receber cobertura do seguro.

Alguns contratos também oferecem coberturas a danos físicos ou quebras causadas por acidentes. Contudo, esses seguros costumam ter valores mais altos.

Valor da franquia

Em termos simples, a franquia é um valor mínimo pago pelo dono do aparelho, em relação ao prêmio do seguro. A média é de que as franquias dos seguros de celular fiquem entre 25% e 30% do valor do aparelho.

Sendo assim, o valor a ser recebido (chamado de “prêmio”) costuma ser de 75% do valor da nota fiscal do smartphone.

Dependendo do plano e da seguradora, esse valor pode ser pago em dinheiro ou a empresa pode enviar um novo smartphone para você. Alguns seguros também oferecem reparos em casos de danos físicos.

 

Informe Publicitário
CLARO

CLARO CONTROLE

4GB
A partir de
R$
64,99

por
mês

TIM

TIM CONTROLE

5,5GB
A partir de
R$
64,99

por
mês

OI

OI CONTROLE

6GB
A partir de
R$
39,99

por
mês

VIVO

VIVO CONTROLE

4GB
A partir de
R$
49,99

por
mês

Como ativar a seguradora

Como foi dito antes, o seguro não impede que alguns passos bem importantes sejam realizados em casos de celular roubado. O primeiro, claro, é entrar em contato com a operadora para fazer o bloqueio da linha e do aparelho, por meio do IMEI. Em seguida, encerre o acesso a contas do Google, redes sociais, aplicativos de transporte e mensagens. Também é necessário fazer o Boletim de Ocorrência sobre o roubo do aparelho. Em alguns locais, esse processo pode ser realizado pela internet.

Com o B.O. em mãos, você pode entrar em contato com a seguradora. Outros documentos e dados solicitados devem incluir identidade, CPF, comprovante de residência e, claro, a nota fiscal da compra do celular.

Aliás, não custa avisar: guardar a nota fiscal da compra do aparelho é importantíssimo. Não só para quem vai fazer um seguro, mas também para entrar em contato com a assistência técnica e garantia da marca.

Então, a seguradora vai indicar os procedimentos e o prazo para recebimento do dinheiro ou de um novo smartphone. Sempre, claro, dentro das condições impostas pelo seu contrato.

Leia com atenção todo o contrato

Cada empresa de seguro pode ter diferentes termos e modalidades de contrato. Por isso, antes de fazer o investimento em um seguro para celular, leia com atenção todas as condições. Valor da franquia, carência, casos de cobertura, possíveis custos extras e procedimento para retirada do prêmio em caso de sinistro são alguns dos pontos mais importantes.

Operadoras também oferecem seguros de celular

Você pode descobrir quais as modalidades de seguro oferecidas pela operadora do seu plano de celular. Tim, Vivo, Oi, Claro e Nextel estão entre as empresas que podem incluir os valores do seguro na sua conta mensal.

Os valores de investimento e resgate variam de acordo com a modalidade do seguro e, por vezes, do custo do aparelho. Por isso também é importante tomar os mesmos cuidados indicados anteriormente.

 

Quer economizar no seu plano de celular e banda larga? Confira aqui as melhores ofertas da semana!

voltar para o top