Dicas

Celular Legal: descubra se seu aparelho está regularizado

Quer saber se seu celular está legalizado? Confira algumas dicas e saiba se ele não será bloqueado de acordo com o projeto Celular Legal, da Anatel.

Comprar um tablet ou celular falsificado ou com preços bem abaixo do praticado por grandes lojas pode parecer uma vantagem. Porém, o Projeto Celular Legal, da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) pode frustrar a felicidade de quem achou que ia se dar bem.

Por causa do projeto, celulares vem sendo bloqueados, caso estejam em situação irregular. Portanto, se for um smartphone falsificado ou tiver o IMEI adulterado, pode ser totalmente bloqueado pela Anatel.

Agora, se você comprou um celular de forma legal, só que fora do país, não precisa se preocupar. Se o IMEI estiver em dia e o aparelho tiver compatibilidade com as frequências usadas no Brasil, irá funcionar normalmente e não será bloqueado pela Anatel.

Porém, se você comprou um celular e quer saber se ele está regularizado, confira as nossas dicas. Mas, antes, entenda um pouco mais sobre o projeto Celular Legal.

Quer ter certeza de que seu aparelho está regularizado? Confira promoções exclusivas e garanta o seu na TIM!

O que é o projeto Celular Legal?

Por lei, os aparelhos que usam a rede móvel no Brasil devem ter certificação da Anatel. Não cumprir essas exigências da agência pode comprometer a experiência do usuário tanto na hora de usar o celular quanto para usar as redes e navegar pela internet, por exemplo.

Contudo, a certificação da Anatel é dada a dispositivos de fabricantes que cumprem todas as exigências. Portanto, o projeto Celular Legal surgiu para inibir empresas em situação irregular, assim como tentar diminuir a comercialização de aparelhos roubados. Isso porque, muitas vezes, o IMEI é adulterado para que o celular volte ao mercado.

Basicamente, o projeto Celular Legal é uma parceria entre a Anatel, fabricantes de celulares e operadoras de telefonia móvel. Por meio de um sistema informatizado, elas conseguem identificar os aparelhos que estão usando a rede de forma irregular. Assim, é possível fazer o bloqueio, o que quer dizer que o smartphone deixa de funcionar.

O projeto começou a ser implementado em 2018 em três fases, sendo a última marcada para 2019. Em cada uma delas, celulares de estados específicos foram bloqueados.

Contudo, se você começar a usar um celular em situação irregular após as datas estipuladas pelo calendário da Anatel, receberá uma mensagem de texto (SMS) avisando que o aparelho será bloqueado em 75 dias. Os alertas chegam através do número 2828.

Como saber se seu aparelho está regularizado?

Para evitar que seu smartphone seja bloqueado, de acordo com o projeto Celular Legal, é importante se certificar de que ele é regularizado e tem autorização da Anatel para funcionar no Brasil.

Isso quer dizer que, além de ter sido homologado no país pela Anatel, o celular também precisa cumprir alguns requisitos.

Vale lembrar que quem comprar um dispositivo de forma regular fora do Brasil só precisa conferir a frequência do aparelho e saber se a Anatel está de acordo com a regulamentação feita no país de origem. Se tudo estiver de acordo, o celular vai funcionar normalmente no Brasil e não será bloqueado.

Agora, se você quer saber se o celular que comprou aqui no Brasil está regularizado, não precisa se preocupar, porque é bem fácil.

Todavia, o primeiro passo é verificar o selo da Anatel. Ele pode estar na caixa do smartphone ou até mesmo colado na bateria do aparelho. Essa é uma das formas mais simples de descobrir se o seu celular cumpre os requisitos da agência. No entanto, existem outras formas para ficar de olho!

Informe Publicitário
Tim

Melhor oferta

100MB

serviços digitais

Serviços Tim
A partir de
R$
117,00

por
mês

Vivo

Melhor oferta

100MB

serviços digitais

Vivo
A partir de
R$
129,99

por
mês

Oi

Melhor oferta

25MB

serviços digitais

Serviços Oi
A partir de
R$
114,90

por
mês

Net

Melhor oferta

120MB

serviços digitais

Serviços Net
A partir de
R$
99,00

por
mês

Reconhecendo um celular pirata ou roubado

Antes mesmo de fazer a compra, você deve ficar atento para saber se não está adquirindo um produto falsificado, também chamado de pirata.

Procure fazer a compra em lojas confiáveis e as quais você já conheça e tenha boas experiências, por exemplo. Além disso, desconfie se o preço estiver baixo demais.

Procure saber se o produto está com todos os lacres e plásticos de proteção, assim como se sua caixa está com todos os acessórios. Todavia, procure também por marcas de uso para identificar se o celular já foi utilizado, ou seja, pode ter sido roubado.

Contudo, reconhecer um celular pirata pode ser mais fácil. Isso porque, muitas vezes, eles não têm a inscrição da marca no dispositivo. Além disso, trazem sistema operacional totalmente falsificado. Portanto, se você tem algum conhecimento ou já usou o sistema original, vai ser fácil perceber as diferenças.

Entretanto, existem celulares falsificados em que o trabalho é mais bem feito. Todavia, será um pouco mais difícil de reconhecer, mas ainda assim é possível. Se puder, faça uma comparação com o sistema operacional original e busque por diferenças nos detalhes, como no posicionamento dos ícones, por exemplo.

Além disso, aparelhos falsificados costumam ter aparência mais frágil do que os originais. Eles também podem apresentar algumas falhas, como câmeras, botões e sensores posicionados de maneira assimétrica.

Consultando o IMEI

Por fim, uma dica infalível para saber se seu aparelho está regularizado é consultando o IMEI. Esse código é composto por uma sequência única de números e está presente em todos os celulares originais do mundo. Portanto, funciona como se fosse o chassi de um carro.

Esse código costuma vir na bateria do celular e também em seu caixa. Entretanto, é possível conferir ligando para *#06#. Faça a checagem das duas formas para saber se os números são os mesmos. Celulares falsificados, por exemplo, nem costumam ter IMEI, o que facilita o reconhecimento.

Vale lembrar que celulares dual chip contam com um código IMEI para cada chip que pode ser inserido. Dessa forma, você precisará conferir os dois números.