Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Xbox

Braid – Review

O game plataforma independente vem conquistando fãs mesmo dez anos após o seu lançamento oficial

Braid é um game independente de gênero plataforma desenvolvido pela Number None, Inc. Lançado originalmente para Xbox em 2009, hoje o jogo está disponível para Microsoft Windows, PlayStation, Mac OS X e Linux,

O título guarda semelhanças com clássico como Super Mario Bros, por ter como objetivo central resgatar a princesa do monstro malvado. No entanto, uma das principais característica de Braid é o controle do fluxo temporal do game. O que traz uma série de inovações no avanço da narrativa, se distanciando, em muito, do encanador bigodudo da Nintendo.

A seguir, confira os principais pontos de Braid, jogo que, mesmo dez anos depois de seu lançamento oficial, ainda é capaz de surpreender gamers fãs de jogos plataforma no mundo inteiro.

 

Assine já o Game Pass e garanta acesso ilimitado ao Braid e a outros mais de 100 títulos para Xbox!

 

História

 

Em Braid, os jogadores encarnam o personagem Tim, que está incubido de resgatar a princesa. Tim, pula de castelo em castelo, mas nunca consegue chegar a tempo de salvar a monarca das mãos do inimigo. 

O game possui uma camada formada por uma série de quebra-cabeças que permite que o jogador interprete os acontecimentos do jogo de outras maneiras. A questão central desses puzzles é envolver o encadeamento da história do jogo no tempo e no espaço. 

Dessa maneira, a principal característica de Braid é poder desfazer – ou consertar – eventos cometidos no passado. Por conta disso, o game é o primeiro a abandonar o conceito de game over.

 

Jogabilidade

Os puzzles vão sendo acumulados ao decorrer da narrativa. Eles vão formando aos poucos um mosaico com lembranças que dizem alguma coisa sobre acontecimentos do passado.

Outro elemento que vai se apresentando ao longo do jogo são os poemas que aparecem no começo de cada fase. Eles ajudam a guiar o objetivo do jogo, caso você consiga interpretá-lo de maneira correta. 

As fases ou “capítulos” do jogo exploram de maneira única o uso do tempo, permitindo avançar ou retroceder no tempo, de acordo com o objetivo.

Para resgatar a princesa, o personagem precisa passar por diversas peripécias que envolvem o controle do fluxo e velocidade do tempo, como a criação de um clone de si mesmo, por exemplo.

 

Gráficos 

 

Ao todo, Braid é ambientado em sete cenários, que se destacam pelo uso intenso de cores, mesmo se tratando de um jogo inspirado nos gráficos de games plataforma dos anos 90. Os cenários são todos em aquarela e cada quadro do jogo pode ser considerada uma pintura.