Teste de velocidade

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Xbox

Assassin’s Creed Rogue – Review

Poucas novidades e um novo ponto de vista em Assassin’s Creed Rogue.

Lançado em 2014 para Xbox One, PC e Playstation 3, o jogo Assassin’s Creed Rogue não foi o único título da franquia naquele ano. Talvez por isso não apresente tantas novidades quanto os fãs da saga esperavam. Entretanto, é uma boa ferramenta para expandir o universo da série.

Em Assassin’s Creed Rogue, o protagonista é Shay Cormac, um assassino que se decepciona com sua ordem e debanda para o lado dos templários. Em um primeiro momento, essa sinopse pode parecer estranha. Afinal, os templários são os maiores inimigos dos assassinos.

Contudo, a trama é bem conduzida e não se atropela. Ao longo do jogo, é possível entender naturalmente o que leva Cormac a fazer essa escolha, e até mesmo ver sentido na mudança.

 

Retrocompatibilidade para Xbox One

 

Assassin’s Creed Rogue é dos dos jogos para Xbox 360 que ganharam retrocompatibilidade para Xbox One. Os fãs da saga podem comprar a versão atualizada na Xbox Store e curtir a história dos assassinos nos consoles mais recentes da Microsoft.

E lembre-se que alguns desses games também estão disponíveis no Xbox Game Pass, serviço de assinatura que dá acesso a centenas de títulos para você aproveitar o quanto quiser no seu Xbox One.

 

Acesse a Xbox Store e veja mais games que saíram do Xbox 360 para o Xbox One!

 

Nova interpretação e muitas referências

 

A história de Shay é um excelente pano de fundo para explorar os templários sob uma nova perspectiva. Ao conhecer os novos personagens e suas motivações, o grupo sai da posição de “vilões” e ganha uma narrativa própria.

Porém, Assassin’s Creed Rogue não a edição mais indicada para quem faz sua estreia na franquia. Para curtir bem a campanha, é preciso já ter alguma familiaridade com a ordem dos assassinos.

Ambientado em algum lugar entre Assassin’s Creed III e IV, Rogue apresenta muitas referências aos demais títulos da série. Esse gostinho de descobrir um pouco mais sobre o universo do game é mais um motivo pelo qual essa edição é mais apropriada para os iniciados.

 

Poucas novidades

 

Se a história segue por um caminho inusitado, o mesmo não se aplica ao gameplay. Assassin’s Creed Rogue é muito parecido com a edição anterior, Assassin’s Creed Black Flag.

Até a ambientação em batalhas navais estão lá, com poucas modificações. Cenários, armas, sistemas de combate, movimentos dos personagens e mesmo o visual geral do game não apresentam nenhuma inovação.

Para não falar que nada mudou, Shay conta com algumas armas e truques novos, inclusive em relação ao seu navio. Mas não é nada que destaque Assassin’s Creed Rogue como inovador.

Mesmo assim, o game é válido para os fãs da franquia Assassin’s Creed, até por mostrar esse outro lado dos vilões. Além disso, não chega a ser desagradável encarar as missões com algum conhecimento das mecânicas. Essa familiaridade não quer dizer que o game seja repetitivo, apenas familiar.

 

voltar para o top