icone office 365

R$40 de desconto no Office 365 com o cupom: CD40

Teste de velocidade

Dicas e curiosidades

6 dicas para proteger seus dados na internet

Usar senhas fortes, antivírus e autenticação em dois passos são algumas das maneiras de proteger seus dados na internet.

A internet é um prato cheio para pessoas mal-intencionadas, que querem roubar dados e aplicar golpes. Isso porque, muitas vezes, colocamos nossas informações em sites e baixamos arquivos sem nos preocupar com o que será feito com esses dados.

Por isso, é preciso ficar atento a algumas dicas para proteger seus dados na internet e evitar problemas com a exposição das suas informações. Confira a seguir 6 ações para colocar em prática agora mesmo!

Banda larga é com a Oi! Conheça os planos e combos ideais para você e assine já!

1. Tenha senhas fortes

Você provavelmente já ouviu essa dica antes, porque ela é uma das maneiras mais práticas para proteger seus dados na internet. Existem programas que testam combinações para descobrir a senha de usuários, e eles são usados por pessoas mal-intencionadas.

Sendo assim, o ideal é criar combinações que não sejam fáceis de descobrir. Evite repetir o nome de usuário, seu nome, data de nascimento ou telefone, por exemplo.

Além disso, tente não usar a mesma senha para tudo. Pode ser difícil memorizar todas elas, então, tente ao menos criar três combinações que serão usadas em diferentes acessos.

Para ter uma senha forte e proteger seus dados na internet, o ideal é que ela tenha ao menos 7 caracteres, sendo um deles especial, ou seja, símbolos como asterisco ou interrogação, por exemplo. Usar números e alguma letra maiúscula também ajuda a sua senha a se tornar mais forte.

2. Cuidado com os e-mails recebidos

Uma das maneiras mais comuns de roubo de dados na internet é o chamado phishing. Tendo como exemplo, frequentemente são enviados e-mails às vítimas como se fossem de bancos ou administradoras de cartões de crédito.

Essas mensagens costumam conter links maliciosos ou arquivos para serem baixados e começarem a espionar suas ações no computador ou no celular.

Portanto, se receber algum e-mail solicitando dados como nome, CPF, número do cartão ou senha, não responda, não clique em nenhum link e nem baixe qualquer arquivo. Em vez disso, entre em contato com o banco ou empresa que supostamente enviou o e-mail para se certificar de que ele é verdadeiro, ou não.

Não é prática comum que empresas mandem e-mails solicitando esse tipo de dado. Até porque, dependendo da informação, ela já tem, certo?

E lembre-se: nada é de graça. Se você receber algum e-mail oferecendo algo gratuito ou alguma promoção improvável, pode ser apenas uma armadilha para você clicar em algum link e ter seus dados roubados.

3. No computador, cubra seu microfone e webcam ou desative-os

Em casos de invasão de hackers ao seu computador, o cibercriminoso vai ter acesso, inclusive, à sua webcam e ao seu microfone, podendo monitorar o que você faz não só virtualmente.

Então, uma maneira de proteger seus dados na internet é desativando esses periféricos. Caso não queira ou não seja possível fazer isso, cubra-os com uma fita adesiva.

4. Use antivírus

Outra dica clássica para proteger seus dados na internet é usar antivírus. Ele pode ser instalado tanto em computadores quanto em celulares. Esses programas são essenciais para evitar invasões ou, claro, vírus, que podem ser usados para roubar dados pessoais.

Contudo, é importante lembrar que você precisa manter seu antivírus sempre atualizado. Isso porque os cibercriminosos estão sempre criando novas formas de invadir os dispositivos e prejudicar os usuários.

5. Coloque senhas em seus dispositivos

E uma dica que parece básica, mas nem sempre é usada, é a senha para acessar seus dispositivos. Essa é uma forma fácil de proteger seus dados, uma vez que, sem a senha, fica fácil para qualquer um acessar seus dados.

6. Configure a autenticação em dois passos

Diversos aplicativos permitem que você configure a autenticação em dois passos, como é o caso do WhatsApp. Assim, você protege seus dados na internet, já que uma senha a mais deve ser usada para ter acesso às suas informações. Gmail, Facebook e Twitter também contam com o recurso.

voltar para o top